Portagens, ou como Portugal ficou mais longe

Houve um tempo em que a Dona Camila recebia a visita dos netos 2 ou 3 vezes por mês. Lá na terreola, os pequenos iam à mercearia do Sr. Manuel comprar guloseimas. À ida, o Fontes perguntava-lhes pelo pai. Mais tarde, lá se reuniam para tomar um copo e por a conversa em dia. A … Continuar a ler Portagens, ou como Portugal ficou mais longe